quarta-feira, 16 de maio de 2007

A desventura de viver.

Viver, o que é?

Meros fantoches despersonificados
Manipulados pela mídia e pela emoção
Vitimas da violência
Massacrados pela corrupção

Queremos Carpe diem e utopia
Comida, diversão, arte
Futuro, história, nostalgia
Cultura, saúde, educação

Queremos semear amor
E colher futuro
Somos cúmplices de nós mesmos
Cativos de nossos próprios muros

Queremos instruir o povo
Construir uma vida melhor
Há que se falar em dignidade
Na força do trabalho, do suor

Temos muito medo
E pouca convicção
Muita realidade
Pouca imaginação

Vida dura, de peão
Fome, dor, insolação
Poucos sonhos
Muita decepção

Corremos do relógio
Retardando o encontro com nós mesmos
Somos ora pressa ora espera
Nunca concretização, sempre desejo

Por isso, já não podemos esperar nada
Estamos certos
A vida é que está errada.


Natascha Damasceno.

Um comentário:

Fabíola disse...

A vida não está e nem é errada. Há coisas que não há explicações.
Até mesmo um peão pode ser feliz no que faz.
O erro somos nós, humanos, gananciosos e corruptos, capitalistas e desonestos.
O que falta nesse planeta é amor: amar ao próximo como a ti mesmo!