quarta-feira, 12 de março de 2008

Cooperativa de catadores trabalha para reduzir o volume de lixo em Belém

A sede da cooperativa localiza-se dentro do Aterro Sanitário do Aurá.

Papel, plástico, metal. Para uns, lixo; para outros, uma forma de sustento. As embalagens que são jogadas fora têm destino certo em Belém: o aterro sanitário do Aurá, o maior da Região Metropolitana. Dentro do espaço do lixão, existe uma cooperativa de catadores intitulada de Cooperativa dos Profissionais do Aurá – COOTPA.

Fundada em 2001, a cooperativa surgiu no intuito de tentar organizar um grupo de trabalhadores, e hoje conta com 35 cooperados. Odinéia Lopes, 35 anos e catadora há oito, diz que não vê outra opção de trabalho a não ser esse. Ela, que ganha no máximo 100 reais por semana, é o retrato da maioria dos trabalhadores da área.

“Não terminei nem o ensino fundamental, moro em terreno de invasão e não tenho um ofício”, declara Odinéia. Assim como ela, outros trabalhadores se queixam da questão da idade, pois se acham “velhos” para entrar no mercado de trabalho formal.

A presidente da cooperativa e ex-catadora Mara Suely Martins, procura oferecer uma forma mais digna de trabalho ao oferecer botas, máscaras e luvas, mas lembra que nem todos usam a proteção para o rosto e mãos. Mesmo assim, há os que digam que nunca se machucaram ou adoeceram devido à coleta e, no máximo, já tiveram uma gripe.

Mara diz que a cooperativa não recebe nenhum tipo de incentivo do poder público, mas que o poder privado, através de algumas empresas da capital, doa materiais para a reciclagem.

Mesmo depois que o decreto 5.940 foi instituído em 2006 pelo presidente Luis Inácio Lula da Silva, atribuindo aos órgãos sob Administração Federal o dever de separar resíduos descartáveis e destiná-los às associações e cooperativas de catadores de lixo, a realidade ainda não retrata esses atos. “Recebemos mais apoio do poder privado ao invés do público”, diz a presidente da Cootpa.

O resultado da coleta é levado à sede da cooperativa, onde se faz a triagem, processo no qual o “triador” separa os objetos de acordo com o tipo: vidros, plástico, metal, papel, garrafa pet, etc.

Após o processo de separação é a vez do “carregador” levar em caminhões o resultado da triagem até as empresas de reciclagem. A cooperativa conta com dois carregadores, dentre eles Antônio Gomes. Ele ganha pelo transporte, além de ser o responsável por ir buscar as doações das empresas. Dirigindo um caminhão de sua propriedade, Antônio diz que o frete, na maioria das vezes, só dá para pagar o combustível. Para sobreviver, faz trabalho-extra carregando resíduos de outros catadores não-cooperados.

O material coletado é vendido por quilo: o papel branco custa vinte centavos; papelão, papel de revista e jornal, dez centavos, cada quilo; e as garrafas pet, sessenta centavos. As latas de alumínio, das quais o Brasil é recordista mundial em reciclagem, não são levadas para a catação na cooperativa porque são vendidas por fora. O valor do quilo custa em média dois reais.

Depois da triagem, os resíduos são pesados e os catadores recebem seu dinheiro nos finais- de- semana. Pagam-se os “triadores”, os “carregadores” e o que sobra vai para a presidente e o tesoureiro da cooperativa. Parte da verba também se destina para a manutenção da sede. Nenhum deles possui carteira assinada e jamais trabalhou sob tal condição, mas as opções de vida não lhe deram muitas oportunidades.

Os catadores lembram da importância de separar o lixo dentro de casa, pois isso facilita o trabalho de quem vive da coleta. Procurar respeitar os horários de coleta de lixo domiciliar e evitar jogar entulhos nas ruas são algumas atitudes das quais nós, cidadãos, podemos respeitar e adotar aos nossos hábitos diários.

Assim, não só cooperamos com o trabalho de catadores, como também contribuímos para diminuir a poluição do meio ambiente.


Fabíola Corrêa

30 comentários:

Juvencio de Arruda disse...

Fabíola, obrigado pelo envio do post. Diferente este blog ds vcs. Alto astral, mas sem barulho.
Parabéns!
Abs a todos, e o link é uma honra.

Controversus disse...

Obrigada Juvêncio, sempre buscando um bom jornalismo!

Cris Moreno disse...

Parabéns. Estou via Juca. Adorei. Boa sorte. Bom trabalho. Boa pesquisa.

Beijocas em todos.

Anônimo disse...

O desafio é complexo mesmo, colegas, e gostaria de acrescentar uma peça neste tabuleiro, já que citaram o decreto de Lula. A governadora Ana Júlia acaba de assinar a versão estadual do decreto. Institui a separação de resíduos sólidos recicláveis, na fonte geradora, em todos os órgãos da administração estadual, e a sua destinação às associações e cooperativas dos catadores de materiais recicláveis. Os órgãos têm 90 dias para se ajustar. Abraço a todos e boa sorte na empreitada.

Zaratustra disse...

parabéns pela reportagem Fabíola! muito bom trabalho.
Alan Araguaia

Zaratustra disse...

parabéns pela reportagem Fabíola! muito bom trabalho.
Alan Araguaia

Anônimo disse...

O assunto "lixo" é atual e urgente para o cidadão, o poder público e as empresas. Exige pressa. Quanto ao caso do Aurá, faltou citar na matéria a parceria da Cootpa com o Banco da Amazônia. Foi a primeira cooperativa a firmar um contrato formal com o Banco, que desde o ano passado destina 100% do material coletado seletivamente para os catadores organizados.

Controversus disse...

Ah, obrigada pela atenção de todos. E sim, anônimo, não quis dar preferência a nenhuma empresa, mas é verdade. O Banco da Amazônia possui um programa de reciclagem do qual chamam de "rede" e se associam diversas instituiçãoes ligada ao tema , trabalhando em conjunto. Com certeza, é a empresa privada que mais investe nesse ramo dentro de nossa cidade. Contudo, a cooperativa ainda tem algumas parcerias, como a empresa de telefonia Tim e a Rede de Farmácias Big Ben, que fazem doações voluntárias.

Fabíola Corrêa

Aluguel de Computadores disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the Aluguel de Computadores, I hope you enjoy. The address is http://aluguel-de-computadores.blogspot.com. A hug.

Jota Pê_The disse...

que cyberjornalismo lindo este!

Anônimo disse...

Fabíola sou aluna de uma curso de pós-graduação em Marketing, meu trabalho de conclusão será na area de marketing social. Estou pesquisando sobre a implantação uma cooperativa de residuos recicláveis em uma comunidade aqui no Recife. A sua materia foi de grande importancia para o esclarecimeto de algumas duvidas. Parabens e obrigada pela ajuda.
Ana Maria Rodrigues

FCorrêa disse...

Oi Ana Maria,
Fico muito agradecida em poder ajudá-la. Temática interessante do seu trabalho.

Fabíola Corrêa

Anônimo disse...

Ana Maria,
Será que poderia mandar uma cópia do seu trabalho para mim quando ele estiver pronto?

Meu e-mail é fabiolajornalista@yahoo.com.br

priscila raquel disse...

belo trabalho de vcs...gostaria de saber se vcs tem algum cont. da cooperativa pois tenho alguns papéis q podem se reciclados e queria saber como faço p/ manadá-los à cooperativa... se for possivel aguardo no email pri_g.a@hotmail.com
muito obrigada!!!

Odete disse...

Fabíola mt boa a matéria, tb gostaria de um contato da cooperativa.

Pode enviar pro email: amazonida26@yahoo.com.br

Obrigada

floriano disse...

oi fabíola, tb gostaria do contato da cooperativa. meu email é metafora33@hotmail.com
mas porque não divulgar pra todos aqui poderem ajudar? bom, fica aqui a sugestão.
grato e parabéns pela matéria!

Anônimo disse...

oi, eu queria saber se è possivel entregar material reciclavel como papel, vidro, plastico e aluminio à cooperativa. por favor me contate ao raknuc@yahoo.it. obrigada!

Osmar disse...

Gostaria de saber, porque nao estender a coleta de residuos, tambem para os oleos vegestais usados em frituras, para com isso produzir sabão e tambem biodiesel que pode perfeitamente suprir as necessidades da propria cooperativa, caso ela tenha algum equipamento movido a diesel, caso haja interesse sobre o assunto ventilado, contactar osmar.star@hotmail.com

elizabeth dos santos disse...

gostaria de saber como posso montar uma cooperativa de reciclagem de garrafa pet em minha comunidade?

elizabeth dos santos disse...

gostaria de saber como posso criar uma cooperativa de reciclagem de garrafas pet,aqui em minha comunidade,e qual a empresa que compra o material.

Anônimo disse...

showcasing wads bruno panoli formulas daniela silverman affirmative gallagher claris synopsis
semelokertes marchimundui

SEDES.GOV.PA disse...

Olá Fabíola, adorei sua reportagem e por isso gostaria que vc enviasse para mim o contato ou endereço de todas as cooperativas de reciclagem de lixo que há em Belém, pois tenho muito interesse em mandar materiais para serem reciclados. Meu endereço: suelenscosta@yahoo.com.br

bianca disse...

coloque algum numero que podemos entrar em contato, queria muito fazer uma incomenda

Helen Valente disse...

Olá Fabíola...adorei a reportagem...
Sou aluna de uma facudade de administração de módulo a longa ditancia...e nosso PI (projeto Integrado) foi sobre isso, sustentabilidade e reciclagem do nosso lixo....fiquei super interessada e estou começando a implantar em casa o processo de seleção..mas preciso dá um destino a eles...queria o contato da cooperativa....meu e-mail é clicia.valente@hotmail.com

Fico no aguardo

adriano disse...

Ola, sou o Adriano trabalho na STATUS Construções sou téc. de qualidade, estou implantando um sistema de gestão de qualidade onde um dos nossos temas e reciclagem em nossos canteiros de obra, vc poderia me mandar os contatos das cooperativas de Bélem pois tenho muito material que sobra de nossas obras, meu e-mail adrianoferreira@statuseng.com.br

Anônimo disse...

bom dia. gostaria de saber os telefone de contato. tecmaq1_singer@hotmail.com.br

afap disse...

Parabéns pela iniciativa. Tenho muitas revistas em casa que estão em perfeito estado, então pergunto a Cooperativa busca esse material para reciclar ou só recolhe através da coleta diária programada? Existe tel. para contato direto com a direção da cooprativa

Anônimo disse...

molto intiresno, grazie

Elizangela Lima disse...

Tenho muito papel para me desfazer, então pergunto: a Cooperativa pega esse material para reciclar ou como fazer? Preciso de um contato direto com a direção da cooprativa.

Rubens disse...

Parabens pelo trabalho, é desse tipo de ação que o País precisa, mostrar que quando se quer fazer algo, pode e deve faze-lo. e tambem agradecer pois foi atraves deste trabalho que destinei quase meia tonelada de material de informatica a uma cooperativa em minha cidade "Belém/PÁ"
É isso